25.9.11

domingo

Há tempo para mim, aos domingos, sob os sóis. Há tempo para o que sou debaixo do medo; o medo me cuida e me carrega e é bom, tão bom sentir medo e nunca parar. Vou desgarrada, cabelos, teorias, vida. Vou furiosa para dentro e não poderia estar mais feliz - fora de mim.  

2 comentários:

  1. Meninatlântica, tô pasmo! Que texto! A legítima poesia...

    ResponderExcluir
  2. A última frase rende, pelo menos, um bom artigo... :)

    ResponderExcluir

Coisa boa saber tua opinião.

não se nasce mulher, torna-se mulher [simone de beauvoir]