26.9.07

com certeza o meu último romance



Eu encontrei-a quando não quis
Mais procurar o meu amor
E quanto levou foi pra eu merecer
Antes de um mês
Eu já não sei

E até quem me vê
Lendo jornal
Na fila do pão
Sabe que eu te encontrei
E ninguém dirá
Que é tarde demais
Que é tão diferente assim
Do nosso amor
A gente é quem sabe, pequena

Ah vai!
Me diz o que é o sufoco
Que eu te mostro alguém
A fim de te acompanhar
E se o caso for de ir à praia
Eu levo essa casa numa sacola

Eu encontrei-a e quis duvidar
Tanto clichê
Deve não ser
Você me falou
Pra eu não me preocupar
Ter fé e ver coragem no amor

E só de te ver
Eu penso em trocar
A minha TV num jeito de te levar
A qualquer lugar que você queira
E ir onde o vento for
Que pra nós dois
Sair de casa já é se aventurar

Ah vai!
Me diz o que é o sossego
Que eu te mostro alguém
A fim de te acompanhar
E se o tempo for te levar
Eu sigo essa hora
Pego carona
Pra te acompanhar



Bem sei que é uma tremenda covardia apelar para a música mais importante da minha vida em um momento como este, mas espero que todos entendam que se trata praticamente de uma serenata, embaixo da janela, sob a luz da lua, com todas as desafinações e lágrimas de que tenho direito. Portanto, quem sabe a letra fique à vontade para fazer coro e aproveitar para me dar uma força.

Já fiz isso uma vez, gravei em uma fita e enviei. Não custa tentar de novo. Aliás, nada custará demais. Uma vida inteira está nesta página, ao alcance dos teus olhos. E uma vida inteira vale qualquer coisa.

Porque não é simplesmente uma música. É uma promessa.

2 comentários:

  1. ai minha amiga... são tantas coisas que ando passando e que amanhã te conto.

    beijos.

    ResponderExcluir

Coisa boa saber tua opinião.

não se nasce mulher, torna-se mulher [simone de beauvoir]